quarta-feira, 19 de abril de 2017


- Plano de trabalho – MUSEU DOS TERCEIROS (a azulejaria)

Objetivos gerais:
- Reforçar o conceito de bem cultural e de cultura.
- Reconhecer a importância dos espaços construídos.
- Conhecer o património artístico e cultural da nossa região, como um valor de identidade nacional e encarar a sua preservação como um  dever cívico.
- Desenvolver o sentido de apreciação estética.

São bens culturais:
- Obras de arte (pintura, escultura, arquitetura, azulejaria, ourivesaria, música, poesia, literatura).
- As descobertas arqueológicas (gravuras de Foz Côa, ruínas romanas de Conimbriga, …”).
- Restos de uma estrada, restos de um aqueduto romano, a chaminé de uma fábrica do início do período industrial, …
- A paisagem, o território, como a Serra de Sintra, a Ponta de Sagres, as Furnas, a ribeira do Porto, etc., (Património Mundial da Humanidade).
- As fábricas, as máquinas, as centrais eléctricas antigas ou outros testemunhos da primeira industrialização do país.
- O património e a cultura popular: a arquitectura popular, as festas religiosas, as tradições populares, os objectos de artesanato de uso quotidiano, (etc.), testemunhos de cada povo em particular.
Cultura é a “acção que o homem realiza, quer sobre o seu meio quer sobre si mesmo, visando uma transformação para melhor”.

Objetivos específicos:
- Estudo do azulejo português.

1ª Fase do trabalho:
a) Visita de estudo ao Museu dos Terceiros. Recolher informações sobre o tema (azulejaria, pintura, …).
b) Fazer levantamento fotográfico e registos gráficos.
c) Discutir, na escola, os primeiros elementos obtidos para reorientar os trabalhos.
d) Produção de módulos e estudos de cores.

O Azulejo
“Al zulej” quer dizer pequena pedra polida. Foram os árabes que introduziram entre nós o azulejo, mesmo antes da fundação de Portugal.
Azulejo é uma pequena placa cerâmica de barro cozido, vidrada na face que suporta a cor e o desenho. Unidos definem composições e geram padrões visuais.
Os azulejos portugueses acompanham a história de Portugal de uma forma constante:
- Realizados segundo a técnica mudéjar, desde o século XIII (Denomina-se arte mudéjar ao estilo artístico que se desenvolveu entre os séculos XII e XVI nos reinos cristãos da península ibérica, que incorpora influências, elementos ou materiais de estilo ibero-muçulmano).
- Pintados simplesmente a pincel, como no século XVIII.
- Impressos como no século XIX.
- Relevados como no século XIX, e no século XX (por exemplo, são célebres os azulejos relevados da autoria de Bordalo Pinheiro).